DEIXEM AS CRIANÇAS SENTIREM TÉDIO!


Se tem uma coisa que deveríamos ter aprendido durante a infância é saber lidar com o tédio. Por que nós, adultos, encaramos o tédio (quase nunca de frente) como se estivéssemos chegado a placa: "FIM. Acabaram as possibilidades. Em parte ele é isso mesmo, mas isso é só o começo da conversa.

O tédio é uma sensação positiva que todos, crianças e adultos, podemos e devemos experimentar. E ele deve, definitivamente, ser usado a nosso favor. 

Em 1930 o filósofo Bertrand Russell dedicou um capítulo de seu livro “A Conquista da Felicidade” à importância do tédio. Nele, dizia que “uma criança se desenvolve melhor quando, assim como uma jovem planta, deixa-se repousar na terra. Muitas mudanças de lugar e muita variedade de impressões não são boas para os jovens, e eles aprenderão à medida que cresçam a serem incapazes de suportar a frutífera monotonia”

Agora, imagine se Russell estivesse nos observando hoje: uma imensa maioria de pais que super estimulam os filhos com atividades, informações, brinquedos em abundância – em diversas cores, formatos, luzes e sons. Imagine se ele percebesse que estamos recém nos livrando da rotina de uma pandemia que colocou dentro dos limites das nossas casas a escola, o parquinho, a casa dos avós, as festas de aniversário e todos os outros ambientes que nos ajudavam a manter as crianças ocupadas. E, em parte, queremos que de alguma forma esses ambientes continuem cumprindo suas funções, mas agora deslocados dos seus lugares e estrutura. 

Imagino que ele nos diria: parem! parem todos!

Vamos pensar juntos: concordamos que a capacidade de criar, inovar e solucionar problemas é fundamental para a evolução e sobrevivência humana. Mas não só isso. É também fundamental para a realização e o estado de felicidade na nossa sociedade. Ok? Pois então sigamos o fio do raciocínio: Todos nós concordamos que a criatividade não é algo inato e sim que se aprende e se desenvolve? E mais: concordamos que a "necessidade é a mãe de todas as invenções"?

Está aí a chave para entender porquê uma criança entediada tem a oportunidade perfeita para criar algo onde não havia nada e para procurar solucionar problemas que até então não havia espaço para se mostrarem presentes.

Essas duas coisas acontecem cada vez com menos frequência. Ou porque nós, adultos, estamos ansiosos em ocupar nossas crianças todo o tempo – e somos nós que estamos ensinando isso a elas; ou porque sempre estamos dispostos a solucionar os conflitos que elas apresentem – o que faz com que elas não se esforcem minimamente para encontrar as próprias saídas e soluções.

Atenção pais ansiosos de todo o mundo: uni-vos! Que a gente possa se dar as mãos, segurar nossa ansiedade, suportar ver o peso do tédio nos ombrinhos tão pequenos e perceber surgir dali as asas da imaginação.

Uma criança entediada – e com tempo – para poder procurar a saída para seus problemas; identificar as suas paixões; tomar suas próprias atitudes; e encontrar oportunidades novas está diante da maior chance para seguir trilhando seu próprio caminho, com autonomia, e perceber rotas alternativas para além da placa que dizia "FIM".

 
23/05/2022
Pague com
  • Pagar.me V2
Selos
  • Site Seguro

Oficina Estúdio Design Ltda - CNPJ: 32.273.204/0001-92 © Todos os direitos reservados. 2022